Yoda, the crazy years

Você certamente conhece o Yoda com 900 anos de idade, disléxico, velhinho, isolado em Dagobah treinando o filho do maior tranqueira da galáxia pra tentar consertar as cagadas de seus antigos padawans. Você também viu o Yoda Grão Mestre da Ordem Jedi, membro do Alto Conselho durante os últimos séculos da República Galáctica e das devastadoras Guerras Clônicas. Com sua enorme sabedoria e profundo conhecimento da Força, esse velho muppet carregou por séculos os Jedi nas costas até depois de sua aposentadoria. O que você provavelmente não sabe é que pra atingir esse nível de iluminação, esse senhor já aprontou altas confusões nos cantos mais barra pesada da galáxia. O Yoda de 190 anos, mulherengo, sem vergonha e cheio de atitude não sossegava enquanto não arrastava seu priminho Yaddle pra tudo quanto era encrenca, tocando um puteiro galático de fazer inveja ao próprio Lando Calrissian. Mal posso esperar por esse próximo filme do Star Wars Anthology anunciado pra 2020!    

yoda-crazy-years-diburros-braga

Essa ilustração foi feita originalmente para o OmeleTV 209 em 2013. Éramos visionários.

HAN COGBURN SOLO

Logo no comecinho de 2013, na pré-produção do “STAR WARS – O Despertar da Força“, os ilustradores Ian McCaig e Christian Alzmann imaginaram um Han Solo com cara de Rooster Cogburn, personagem do Jeff Bridges (e do John Wayne 40 anos antes) no filme “Bravura Indômita“. Barba, cabelo comprido e um sobretudo empoeirado, aquela cara de cowboy surrado dos filmes do Sergio Leone. Como o Han Solo foi concebido inicialmente como um cowboy espacial, nada mais coerente, o cara ficou velho, cansado, rabugento e se transformou no Harrison Ford de sempre. Não precisaria nem atuar. Mas como J.J. Abrams foi contratado para fazer um reboot/continuação, o briefing era repetir o máximo de idéias possíveis – ivestimento risco zero – pode até inventar umas paradas, mas sem exagerar. Então o Han Solo acabou, 35 anos depois, fazendo um cosplay dele mesmo. Não que eu não tenha gostado do filme, gostei bastante até, mas confesso que o excesso de idéias repetidas e a falta de ousadia me deixaram um pouco decepcionado. Te digo que essa foi a melhor idéia jogada fora de toda a produção. Não iria tão longe a ponto de dizer que empobreceu o personagem, mas talvez tenha deixado passar uma oportunidade de enriquecê-lo ainda mais.

Sabendo disso, esse é o Han Solo que eu gostaria de ver na tela do cinema.

han-solo-harrison-ford-diburros-braga